Vila Martin Smith

Fundada em 1894, pertence a uma época na qual São Paulo não passava de uma vila construída em sua maioria de taipa com arruamento em terra batida e contava com menos de 40 mil habitantes.

Foi projetada pelos ingleses, que forneceram não só o projeto da vila em si e das habitações nela construídas, como também, trouxeram da Europa a maior parte do material necessário à construção das casas em madeira , de forma que todos os elementos da edificação vinham embalados, restando aos artesãos, muitas vezes, apenas a montagem de cada unidade habitacional.

O seu projeto e funcionamento basearam-se na nítida hierarquia , funcional e de nacionalidade. Já que a ocupação das casa era deita de acordo com a qualificação da mão-de-obra, estado civil e consequentemente posição social.

Com a sua implantação tinha-se o intuito de ordenar o crescimento do assentamento existente e alojar adequadamente engenheiros, técnicos e operários, que passaram a ser requisitados cada vez mais pela a administração e manutenção da ferrovia. Nesta condições, compunha uma estrutura urbana dispendiosa e pioneira no cenário nacional da época .

É a única no Brasil, onde reconstitui idéias do urbanismo europeu do século passado, conciliando de modo muito harmônico, princípios estéticos de desenho da cidade com regras sanitaristas. Esses aspectos podem ser percebidos nos sistemas de esgotamento das águas pluviais e de águas servidas; na racionalidade da construção e na circulação; na pluralidade dos traçados, muitas vezes, regulares e rígidos e outras, irregulares e adaptados à topografia do terreno; na concepção de vielas sanitárias, etc.

A manutenção era feita por funcionários da empresa e existiam uma série de normas para o "habitar" do ferroviário, o que configurava a vila como uma extensão direta da empresa.