Estação

Entre estas estações era a que mais se destacava, pela graça e pelo seu aspecto tipicamente londrino. Pela sua importância, os arquitetos e engenheiros deram-lhe um aspecto original. Sua torre, réplica do Big-Ben, de Londres, era equipada com um relógio, cujos mostradores em algarismos romanos podiam ser vistos a longa distância.

A estação de trem foi o primeiro referencial da Vila, localizava-se no centro de um pátio de manobras, possuía características bastante originais, tamanha era a sua importância para os moradores , era o lugar de encontro para se discutir negócios, futebol, encontrar amigos e namorar, em muitas noites era difícil encontrar espaço na estação

O relógio da Estação, além da função visual desempenhava também importante papel, como um referencial "sonoro", pois estava localizado em uma torre elevada.

Se caracterizava por uma esplêndida arquitetura de estilo vitoriano, cujo projeto data de fins do século passado, e foi desenhada por engenheiros britânicos com cotas em pés e polegadas e escritas em inglês.

A Estação do Alto da Serra foi desativada em 1977 e já estava em processo de demolição, quando sobreveio um incêndio em janeiro de 1981, e, dela, só restou a torre do relógio, que, restaurada, foi integrada à atual estação.

É importante lembrar que as características arquitetônicas do edifício da Estação do Alto da Serra fizeram parte do citado plano de remodelação das estações ferroviárias e foram consequência direta das mudanças sócio-ecônomicas e tecnológicas ocorridas a partir da segunda metade do século XIX, na Europa. Estas mudanças trouxeram, como reflexo, no Brasil, grandes transformações, inclusive nos modos de construir. As novas condições, oferecidas pela facilidade de transporte fluvial e marítimo e pela instalação de ferrovias, permitiram o aparecimento de um fenômeno novo na arquitetura: os edifícios importados, produzidos pela indústria. Fabricados nos países europeus, vinham desmontados em partes, nos porões dos navios.